2018 - Todos os direitos reservados para MY GROWLER COMÉRCIO ELETRÔNICO LTDA - ME.

Dia do Sommelier: Mariana Astolfi, do @confianamari, conta sobre a profissão no mercado cervejeiro

August 29, 2019

Com a expansão do setor, ser um profissional capacitado faz a diferença

 

 

 

Quando pensamos em sommelier, é mais comum pensarmos naquele profissional que sabe tudo sobre vinho, certo? Mas, o que muitos não conhecem é que também existe um especialista em conhecer, apreciar e harmonizar a cerveja. O beer sommelier - como é chamado - precisa conhecer a história do rótulo, suas matérias primas, os processos de produção e o estilo da cerveja. , além de poder atuar como gestor de compras e estoque, no treinamento da equipe de atendimento e na elaboração da carta de cerveja, no caso dos estabelecimentos.

 

Para nós, amantes da cerveja, parece o trabalho perfeito! E você sabia que existe uma data especial para esses mestres do sabor? O dia 29 de agosto é destinado para homenagear esses profissionais que sabem distinguir aromas, cores e sensações das bebidas como ninguém.

Para entender um pouco melhor sobre esse universo da nossa bebida favorita, fizemos um bate-papo super bacana com a Mariana Astolfi, beer sommelier conhecida no Instagram como @confianamari. Acompanha:

 

P: Mari, para você, qual o melhor momento para saborear uma boa cerveja?

R: Tendo uma boa companhia ou sozinha escutando uma boa música, observando a natureza... Na verdade, sou daquelas que sempre adora apreciar uma boa cerveja (risos).

 

P: Há quanto tempo você se envolveu no mundo cervejeiro?

R: A cinco anos comecei a ter contato, logo de cara, com cerveja caseira. Meu noivo foi me apresentando alguns estilos e eu fui aprendendo com qual me simpatizava mais, até chegar a um ponto de me adaptar a todos. Tem um ano e meio que ela se tornou a minha profissão.

 

P: Em qual momento da sua vida você se descobriu apaixonada pela bebida?

R: O que sempre me encantou, além das boas cervejas artesanais, é a cultura e a forma que cada cervejeiro tem de contar suas histórias. Difícil descrever um momento. Acredito que foi quando a curiosidade começou a martelar e surgir aquela vontade e aprender sempre mais, desde o começo.

 

P: Como você decidiu fazer desta a sua profissão?

R: Gosto muito de passar o que é bom para frente, pois se a experiência foi boa para mim, para os outros também pode ser. Ensinar as pessoas leigas o que é cerveja artesanal e ver a reação delas me encanta demais. Então decidi me dedicar, estudar e passar o máximo de informação possível para que todos consigam aprender um pouco mais sobre cervejas artesanais e entender que há vários estilos, e que toda tampa tem a sua panela.

 

P: Como foi o começo da sua carreira? Você sente que teve alguma dificuldade para ingressar no meio e se destacar por ser mulher?

R: Sempre tive um bom professor desde o início, meu noivo faz cervejas a 8 anos. Ele me ensinou e até hoje me ensina muita coisa. Decidi a fazer o curso de sommelier para agregar mais conhecimento e de certo ter uma formação. Não tive nenhuma dificuldade de ingressar no meio por ser mulher, ao contrário, sempre fui e sou muito respeitada até hoje.

 

P: Para você, qual a importância do sommelier no segmento da cevada? E de uma mulher atuar como sommelière neste mercado?

R: A importância de um sommelier na minha opinião é passar conhecimento de forma com que todos consigam captar a informação certa e repassar o que aprenderam para outros. Hoje noto uma presença muito grande de mulheres no mercado cervejeiro, mulheres com muito conhecimento e um potencial incrível. Vejo que todo mundo respeita todo mundo, isso é muito legal.

 

P: Você acredita que hoje as mulheres têm mais espaço na cena cervejeira?

R: Não só acredito como vejo isso acontecer, mulheres ganhando espaço nas redes sociais do meio cervejeiro, juradas em concursos cervejeiros, professoras incríveis que dão cursos sobre cervejas. As pessoas que se envolvem com cervejas artesanais entendem que cerveja artesanal não é só beber, churrasco e futebol, a cultura do bebedor é totalmente diferente, são pessoas do bem que se respeitam.

 

P: Você sente que o mercado mudou desde que você começou a trabalhar com a bebida?

R: De 5 anos pra cá senti uma mudança muito boa, são grandes pulos mas passos pequenos. Noto que hoje as pessoas têm mais curiosidade de saber, querer entender o que é cerveja artesanal, e o legal de estar na área é saber que você pode proporcionar para a pessoa uma ótima experiência em seu primeiro contato com o estilo. Já ouvi relatos de pessoas que não gostaram de sua primeira experiência por não terem auxílio na escolha de saber qual seria a melhor pra ela.

 

P: Se hoje uma pessoa chegasse para você pedindo dicas de como ganhar reconhecimento na área, quais dicas você daria?

R: Primeiro de tudo estudar, passar informações corretas e ter conhecimento do que ela está querendo ensinar. Ter facilidade de explicar e para tirar dúvida de quem quer saber mais sobre o assunto. Além de ser uma pessoa legal (risos).

 

Relações com a Imprensa:

A Fonte! Comunica

Ana Paula/Roberta Santo

roberta@afontecomunica.com.br

anapaula@afontecomunica.com.br

(11) 3294-8621/ 96473-9225

 

Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload